O que é margem de contribuição, exemplos e como calcular

Apesar do nome ser abstrato e pouco familiar, ‘margem de contribuição’ nada mais é do que um indicador econômico para empresas.

Dentre várias utilidades, ele permite que você descubra quais fatores podem estar afetando a lucratividade da sua loja.

Justamente por isso, esse indicador deve ser calculado com frequência. Se você quer ter uma visão sistêmica do financeiro do seu empreendimento, continue lendo e entenda tudo sobre margens de contribuição!

O que é a margem de contribuição?

Basicamente, é o valor que sobra das vendas ao descontar os custos e as despesas variáveis de uma loja/empresa. É muito utilizada para calcular e pagar as contas fixas do negócio e garantir lucros – tanto que pode ser chamada de lucro bruto sobre vendas.

Antes de listar mais informações, vamos explicar melhor esses dois conceitos financeiros mencionados: as despesas variáveis e os custos variáveis. De forma geral, ambos representam a saída de caixa destinada para as despesas.

A diferença é que as despesas variáveis são ligadas à manutenção e mantimentos internos, como os impostos, comissões de vendas e outros gastos que impactam diretamente no preço dos produtos e, consequentemente, no valor ganho em cada venda.

Já os custos variáveis estão relacionados à matéria prima – seja quanto à produção ou aquisição. Isto é, tudo o que teve que ser gasto para conseguir o produto final para venda.

As despesas variáveis e os custos variáveis são importantes para a margem de contribuição porque ambos devem ser envolvidos na fórmula para o cálculo desse indicador.

Contudo, calculando a subtração das despesas variáveis e dos custos variáveis, o valor restante ainda não é lucro que a empresa gerou, uma vez que ainda existem os custos fixos: aluguel, serviços de segurança, limpeza, internet etc. Veja como inserir isso na conta no próximo tópico!

Leia também: Empreendedorismo: o que é, tipos e tudo sobre

Como calcular a margem de contribuição?

Para calcular a margem de contribuição, é preciso seguir uma fórmula bem simples e precisa. Veja:

Margem de Contribuição = Valor da Receita – (Custos Variáveis + Despesas Variáveis)

Para te ajudar a entender melhor este cálculo, trabalharemos com exemplos. Vamos supor que sua empresa pretenda vender 500 unidades de um determinado produto que tem o valor final de R$ 100,00/unidade.

Considerando que o valor de produção desses produtos (custo variável) é de R$ 40,00 e que o valor investido em comissão de colaboradores (despesa variável) é de R$ 30,00, chegamos à seguinte tabela:

(+) Receita Operacional R$ 100,00 (unitário) R$ 50.000,00 (total)
(-) Custo Variável R$ 40,00 R$ 20.000,00
(-) Despesa Variável R$ 30,00 R$ 15.000,00
(=) Margem de Contribuição R$ 30,00 R$ 15.000,00
(=) Margem de Contribuição (%) 30% 30%

Com o resultado desse cálculo em mãos, temos o montante (retorno do investimento financeiro). Ele ainda será usado para arcar com os custos fixos da empresa, então é necessário subtraí-los para saber qual foi o lucro bruto que a empresa gerou no mês.

Leia também: Reserva de emergência: o que é e como calcular

Quando usar a margem de contribuição?

A margem de contribuição é um cálculo que precisa ser feito regularmente pela equipe financeira e administrativa da empresa para acompanhar com o objetivo de acompanhar as estatísticas do mês.

Isso porque, como visto, esse indicador é essencial para que a empresa mantenha o controle de seus gastos e saiba se, ao fim do mês, gerou lucro ou prejuízo – o chamado ponto de equilíbrio.

Se o resultado obtido for lucrativo, é sinal que as vendas e negociações realizadas geraram bons resultados. Ainda assim, é necessário acompanhar a margem de contribuição para que os resultados permaneçam assim e/ou sejam elevados.

Por outro lado, caso o resultado tenha sido negativo em relação à receita total, é preciso tomar medidas urgentes para reverter essa situação.

Elevar o preço dos produtos, alterar fornecedores e incentivar o esforço de vendas são algumas iniciativas que tem o objetivo de reduzir custos e aumentar o lucro.

Leia também: Estoque parado? Descubra o que fazer com a mercadoria

Qual é a importância da margem de contribuição?

Você já deve saber que o planejamento é essencial para que as empresas tenham sucesso, bons resultados e, acima de tudo, lucro. Há muitos casos de empreendimentos que, mesmo tendo ótimos números em relação às vendas de seus produtos, ainda permanecem no prejuízo.

Contraditório? Sim, mas há um motivo por trás – falta da margem de contribuição! Com um controle de gastos bem estabelecido, é possível saber exatamente onde cabe um investimento, o que pode levar ao crescimento da organização.

Ajustes de preços, metas da equipe de vendas, promoções de colaboradores e diversos outros fatores relacionados ao financeiro da empresa são ótimos exemplos de decisões relacionadas à precificação que têm relação direta com a margem de contribuição.

Dessa forma, podemos afirmar que, com esse indicador, é possível traçar e planejar o crescimento da empresa, além de permitir que a receita e todas as suas finanças sejam calculadas de maneira confiável e assertiva.

Portanto, utilize-o em seu negócio e mantenha o financeiro sob controle.

Esperamos que tenha gostado deste conteúdo e que ele tenha te ajudado a calcular a margem de contribuição, além de todos os benefícios que ela pode trazer para sua empresa.

Aproveite para aumentar os seus conhecimentos com nosso post sobre viabilidade financeira, um conceito que busca estudar se determinado investimento é rentável ou não!

Agradecemos por ter lido até aqui e esperamos você novamente aqui no blog Amor por Empreender, um projeto do Grupo Brandili 🙂

Compartilhe este Conteúdo

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email

Deixe um comentário