Tecido para roupa infantil: veja em quais opções investir

Você sabia que as roupas infantis precisam de cuidados especiais? Elas precisam seguir diversas normas de segurança para que os tecidos se adequem à pele sensível dos pequenos.

Segundo a Audaces, referência no setor da indústria da moda, existem 88 tipos de tecidos. Neste post, nós vamos te apresentar quais são os melhores para as roupas infantis.

Descubra o universo têxtil com o Grupo Brandili e revenda com qualidade!

Quais os melhores tecidos para roupas infantis?

Os melhores tecidos para roupas infantis são confeccionados com fibras de algodão. São eles: malha, tricoline, sarja, laise, jeans e moletom.

1. Malha

A base para as roupas infantis! A malha é confeccionada com algodão, poliéster e elastano. Está presente em leggings, blusas de mangas curtas e longas, e vestidos. Enfim, a maioria das roupas infantis. Inclusive, as peças com este tecido são vendidas o ano inteiro, ele não está limitado a determinadas estações.

2. Tricoline

Maleável, fresco e confortável são as principais características deste tecido. É a base para vestidos rodados, camisas sociais e shorts para bebês. Seu acabamento é considerado leve e macio, além de poder ser estampado com diversos padrões.

3. Sarja

É um tecido estruturado usado em jardineiras, jaquetas de inverno, bermudas e saias. Por isso, é preferível para jovens e crianças com mais de 5 anos. Para não comprometer o movimento dos pequenos, recomendamos investir na sarja com elastano.

4. Laise

Sabe aquele tecido todo furadinho? É a laise. Os furos formam desenhos delicados nas roupas, que podem ser flores, folhas, padrões geométricos e arabescos – ou uma mistura de tudo isso! Na moda infantil, esse material é mais encontrado em blusas e vestidos de festa femininos.

5. Jeans

O coringa dos guarda-roupas infantis. O tecido praticamente se vende sozinho nas lojas de roupas, já que as mamães estão sempre comprando calças, bermudas, vestidos e shorts jeans para meninas e meninos de todas as idades.

Dê preferência aos jeans maleáveis e veja como vale a pena trabalhar com peças atemporais.

6. Moletom

É a mistura de algodão com lã ou poliéster, usada na confecção de conjuntos, calças e blusas de manga longa. No geral, o moletom é quentinho, então a sua demanda aumenta no outono-inverno, momento em que os lojistas devem estar preparados com várias peças no estoque.

No entanto, investir nesse tecido é uma escolha certeira no resto do ano também, levando em conta que ele está em alta nas tendências da moda moderna.

Leia também – Revenda de roupas infantis: entenda porque é um bom negócio

Quais são as vantagens do algodão?

As fibras de algodão têm os aspectos fundamentais para a saúde das crianças: alta respirabilidade, durabilidade e maciez, além de serem antialérgicas e absorverem água.

Isso faz com que muitas mães prefiram comprar roupas desse tecido, já que ele evita reações alérgicas e garante o conforto das crianças.

Note que, falando de forma geral, toda a demanda infantil gira em torno das roupas de algodão, seja puro ou com outros materiais. Portanto, invista nesta base para ter bons resultados na sua loja.

Na Brandili, trabalhamos combinamos o algodão com tecidos sintéticos especiais. O resultado é uma malha que permite que a peça seja ultra confortável e macia – além de não amarrotar com tanta facilidade. Essa é uma das vantagens de ter uma de nossas Lojas Especializadas!

Devo investir em outras fibras de tecido?

Claro! A base para montar um negócio de moda infantil devem ser as roupas em algodão, mas nem por isso é preciso deixar de lado os outros tipos de tecidos. Já ouviu falar no tecido vegano? Ou no couro sintético, por exemplo?

São opções que fazem sucesso como tendências, então incluí-las no catálogo mostra que a sua loja é atenta às mudanças do mercado. Conheça, abaixo, outros tecidos para investir:

Tecidos de origem vegetal

Ganharam força nos últimos anos por conta das crescentes ideias de sustentabilidade. Segundo a Sociedade Vegetariana Brasileira, existem 7 milhões de brasileiros veganos, aproximadamente.

O interessante é que este público não consome nenhum produto de origem animal e, como é um nicho crescente, vale a pena investir em tecidos com fibras naturais. O algodão é um deles, veja mais exemplos:

  • Abacá;
  • Algodão;
  • Bambu;
  • Cânhamo;
  • Coco;
  • Juta;
  • Linho;
  • Rami;
  • Sisal.

Tecidos de origem animal

Atualmente, a moda têxtil utiliza alguns tecidos de origem animal como matéria-prima para casacos e outras peças de inverno – mas são poucas marcas que fazem isso, já que a maioria aderiu aos sintéticos. Veja quais são os principais exemplos de fibras de origem animal:

  • Alpac – WP;
  • Cashmere – WS;
  • Lã – WO;
  • Seda – SK ou S.

Tecidos de origem sintética

Os tecidos 100% sintéticos não são muito interessantes para o dia a dia das crianças, pois não absorvem muito bem a água (e, consequentemente, o suor) e podem causar reações alérgicas devido aos micro plásticos e possíveis produtos químicos em sua composição.

No entanto, ainda há roupas que precisam destas fibras. Por exemplo, os detalhes metálicos de uma roupa de festa são feitos em fibra acrílica e os vestidos soltinhos são feitos com viscose.

Além destes exemplos, temos as roupas de banho. Elas não podem ser confeccionadas com algodão porque ele absorve a água e demora para secar. Por isso, as roupas de banho são fabricadas com tactel e suplex.

Veja outros tipos que podem ser incluídos na moda infantil:

  • Acrílico – PAC;
  • Aramidas- AR;
  • Elastano – (poliuretano ou spandex) – PUE;
  • Lycra;
  • Modal – CMO;
  • Poliamida – PA;
  • Polietileno – PP;
  • Polietilenotereftalato – PET ou PFT;
  • Poliéster – PES;
  • Polipropileno – PP;
  • Poliuretano Elastomérico – PUR;
  • Triacetato – CTA;
  • Viscose – CV;
  • Vinilal – PVA+.

O que achou de conhecer mais sobre os tecidos para roupas infantis? É um detalhe que precisamos sempre levar em consideração, pois os consumidores se fidelizam às lojas que têm roupas com qualidade superior.

Torne isso uma vantagem competitiva do seu negócio e se destaque da concorrência!

No Blog Amor por Empreender, você pode continuar aprendendo como gerenciar a sua loja de roupas. Veja o nosso post sobre como calcular um estoque mínimo, esse é um conceito fundamental para manter a produtividade nas vendas!

5/5 - (1 vote)

Compartilhe este Conteúdo

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email

Deixe um comentário