O que é dropshipping? Entenda a estratégia!

Como parte da saga de conteúdos que buscam simplificar os conceitos da área do empreendedorismo, o Blog do Grupo Brandili explica um dos métodos de vendas mais famosos do momento: o dropshipping.

Neste post, você aprenderá – de maneira fácil e didática – o que é dropshipping, qual sua diferença para o marketplace, como ele funciona, como adaptá-lo ao seu negócio e quais as vantagens e riscos. Acompanhe a leitura!

O que é dropshipping?

Dropshipping é um termo que vem das palavras em inglês drop (largar, liberar) e shipping (entrega). Em uma interpretação literal, podemos concluir que a modalidade se refere a lojas que ‘liberam’ o controle de sua mercadoria a outra empresa.

Isso significa que, no dropshipping, a loja vai fazer as ofertas, vender o produto e depois repassar o pedido a uma distribuidora parceira que será responsável por fazer o estoque, controle de qualidade e distribuição dos produtos.

Ou seja, o fornecedor fica encarregado de todo o processo logístico e a empresa é apenas uma intermediária da compra. O ciclo é o seguinte: Cliente Sua loja Distribuidora Cliente.

Esse é o processo mais utilizado por marketplaces de grande sucesso como Amazon, eBay e Aliexpress.

A partir de análises de mercado que comprovam o crescimento das lojas online (e-commerces), as micro e pequenas empresas também estão se interessando pelo método.

Afinal, como já mostramos no nosso post sobre o comportamento do cliente no meio digital, o varejo de moda ganhou e continua a ganhar muita força na internet.

Por isso, se você deseja montar a sua loja de roupas em plataformas online, conhecer e considerar o dropshipping é um bom começo.

Quais as diferenças entre dropshipping e marketplace?

O marketplace conecta diretamente os consumidores com os fornecedores e age mais como uma plataforma para o processo de compras, reunindo diversos tipos de produtos e marcas em um único lugar.

Já o dropshipping atua como um mediador/revendedor, ofertando os produtos como se fossem seus e acionando o fornecedor somente quando a transação é concluída.

Ambos oferecem vantagens e desvantagens (veja nos próximos tópicos), mas, no cenário de micro e pequenas, o dropshipping é bem mais acessível e fácil de implantar.

Há diversos empreendimentos de roupas que já praticam o método usando apenas o Instagram como loja, enquanto o marketplace já exige uma estrutura de sites bem mais complexa.

mulher realizando compras online no seu notebook

Como funciona o dropshipping?

Diante de tantas informações, a prática do dropshipping em si pode ter ficado confusa. Para saber como o dropshipping funcionaria no seu varejo de moda, acompanhe o passo a passo:

1. O cliente acessa o seu portal de vendas (Instagram, WhatsApp, Facebook ou similares) e efetua a compra;

2. A sua loja hospeda o pedido e repassa-o ao fornecedor parceiro;

3. A empresa fornecedora recebe o pedido e separa, organiza e transporta o produto até o cliente.

4. O cliente recebe a mercadoria!

Como adaptar a estratégia para o meu negócio?

Bom, como você pôde ver, a aplicação e o funcionamento do dropshipping podem ser bem simples, só que, ao pensar em como adaptar a estratégia ao mercado nacional, surgem algumas dúvidas como “O dropshipping é crime no Brasil?” e “Como escolher um fornecedor de dropshipping no Brasil?”.

Apesar de não haver uma legislação específica que declare a sua legalidade, o dropshipping não é considerado crime no país.

Seguindo um regime de tributação correto e todas as regras fiscais e contábeis exigidas pela Receita Federal com a ajuda de um contador, o método é perfeitamente possível.

Já sobre a escolha dos fornecedores nacionais de dropshipping, o processo é o mesmo que seria em um empreendimento de revenda ou filial de marca e depende das necessidades da sua loja, a confiabilidade do parceiro etc.

Temos um post dedicado ao tópico como escolher e gerir fornecedores em um negócio que pode ser de grande ajuda!

Quais as vantagens do dropshipping?

Se você se interessou pelo método do dropshipping, dê uma olhadinha nas demais vantagens que ele pode te oferecer:

Baixo investimento inicial

Como a sua loja não precisa adquirir os produtos e se responsabilizar pela sua possível falta de vendas, o investimento com a mercadoria é baixo e o lucro pode ser redirecionado a áreas de grande valor, como a melhoria do ambiente, a publicidade etc.

Poucas despesas fixas

O dropshipping tem a vantagem de poder ser realizado de forma online, já que o método de vendas não exige um espaço para o armazenamento e o controle de estoque.

Assim, você não tem as despesas fixas de IPTU, aluguel, conta de luz, energia, água e outros.

Facilidade de administração

Em uma loja física tradicional, um aumento de vendas e demanda significa que novas contrações e até a mudança para um espaço maior precisariam ser realizadas.

Já no dropshipping, esse aumento não necessariamente exigirá isso, pois a sua administração é apenas do controle de vendas e publicidade – os distribuidores que lidarão com a alta demanda na prática.

Não ter que se preocupar com o estoque parado

O cálculo do estoque mínimo e máximo é de grande importância e prioridade em lojas sem dropshipping, mas, com essa modalidade de vendas, o controle da mercadoria não precisa ficar em suas mãos (o que pode ser uma desvantagem também, como será explicado a seguir).

mulher fazendo anotações no seu caderno enquanto consulta o notebook

E quais os riscos do dropshipping?

Como quaisquer métodos de vendas, o dropshipping oferece algumas desvantagens. Conheça-as abaixo para decidir se realmente quer usá-lo em sua loja:

Estoque instável e sem muito controle

Ao entregar a responsabilidade sob as mercadorias para os fornecedores, você acaba perdendo o controle do giro de estoque.

Isso pode resultar na venda de um produto que não existe mais ou na entrega de outro defeituoso, gerando más experiências de compra ao cliente.

Problemas de prazos e entregas

Novamente, o fato do controle do estoque ser de responsabilidade íntegra do fornecedor pode oferecer riscos de prazos ultrapassados, entregas insatisfatórias e outros feitos bem nocivos à imagem da sua loja.

Baixa margem de lucro

No dropshipping, o lucro deve ser dividido em porcentagens bem proporcionais com os fornecedores, então não espere ganhar muito dinheiro logo no começo, quando o preço dos produtos costuma ser mais baixo para conseguir entrar em um mercado competitivo.

Incoerências entre os fornecedores

Geralmente, quem segue o método do dropshipping tem um grande leque de fornecedores distintos. E por que isso é um problema?

Bom, vamos pensar na seguinte situação: seu cliente escolheu em que o seu cliente escolheu uma blusa e um calçado de marcas diferentes na mesma compra.

Cada distribuidora tem um tempo de processamento e entrega diferentes, então a mercadoria muito provavelmente chegará em partes e em datas diferentes, o que pode provocar um valor de frete dobrado e a insatisfação do seu cliente.

E então, conseguiu decidir se o método de dropshipping realmente vale a pena para o seu negócio?

Esperamos ter te ajudado a entender esse conceito que, no final das contas, é apenas mais uma modalidade de revendas voltada ao mercado online.

Se você quiser continuar acompanhando conteúdos do Blog do Grupo Brandili que simplificam o mundo dos empreendimentos, que tal conferir o nosso post sobre o mais novo benefício financeiro oferecido pelo governo a micro e pequenas empresas?

Conheça o Pronampe!

Compartilhe este Conteúdo

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email

Deixe um comentário