15 perguntas mais frequentes sobre empreendedorismo

A palavra “empreendedorismo” é relativamente nova na língua portuguesa e, recentemente, tem ganhado cada vez mais espaço no mercado de trabalho do Brasil. Por esse motivo, é muito comum que existam dúvidas relacionadas ao termo.

Ao contrário do que diversos conteúdos fazem parecer, o ato de empreender é muito mais do que frases de impacto. Elas têm seu valor, claro, mas essa é somente a ponta do iceberg.

Por exemplo, você já se perguntou como encontrar um nicho no mercado ou onde aprender sobre esse assunto? Vamos responder tudo isso e muito mais neste artigo, acompanhe!

1. Qual a importância do empreendedorismo?

O empreendedorismo é importante para movimentar a economia de uma cidade, região ou país. Afinal, ele é responsável por gerar novos empregos, criar produtos e/ou serviços para o mercado.

De modo geral, ele estimula e fomenta o surgimento de soluções inovadoras para vários setores, de forma direta e indireta.

Para exemplificar a importância do empreendedorismo para a sociedade, basta pensar no caso de Steve Jobs da Apple. Ele e sua equipe foram uns dos principais responsáveis pela revolução digital.

Sem as ações, os produtos e os serviços desenvolvidos por essas pessoas, talvez você não estivesse lendo este post agora.

2. O que é empreendedorismo social?

Empreendedorismo social é o segmento em que a construção dos negócios acontece pensando na sociedade como um todo. Tal conceito envolve a construção de empresas e soluções que têm como meta proporcionar melhorias nas comunidades ou pessoas em situação de vulnerabilidade.

Um caso de sucesso de empreendedorismo social é o Instituto Gerando Falcões, que incentiva jovens de periferia

3. O que significa ser empreendedor?

Ser empreendedor significa unir o que há de melhor nas personalidades planejadoras, analistas e executoras.

Ou seja, esse tipo de pessoa tem a capacidade de observar, promover e aproveitar as melhores oportunidades de negócios. Isso vai garantir novas ideias, produtos e/ou serviços!

4. Tem idade para empreender?

A resposta é bem clara e sonora: não! Para empreender não há um limite de faixa etária. Ter esse tipo de pensamento é uma atitude natural e que surge conforme a pessoa estuda, se desenvolve profissionalmente e identifica as melhores soluções para os problemas.

Muitas pessoas podem pensar que são velhas ou novas demais para empreender. Porém, esse pensamento é errado e não deve ser levado em conta.

Vamos voltar ao exemplo do Steve Jobs? Ele fundou sua primeira empresa, a Apple, com 21 anos! Na época, esse nome era apenas mais uma marca que comercializava um computador desenvolvido por Steve Wozniak anos antes.

Na “outra ponta” das faixas etárias, existem vários casos de pessoas que começaram a empreender depois dos 50. Henri Nestlé – que você já deve imaginar qual empresa fundou – inventou a farinha láctea aos 52 anos, em 1867.

Se pensarmos em como a expectativa de vida para a época era baixa, fica mais impressionante!

5. Como encontrar nichos para empreender?

A melhor forma é procurar problemas e pensar em soluções. Além disso, é preciso fazer uma boa pesquisa de mercado para não tomar prejuízo. Nós falaremos sobre esse tópico daqui a pouco, então continue por aqui.

Quanto ao nicho para empreender, existem vários com o mercado bem aquecido. Por exemplo, o segmento têxtil infantil. Se você parar para pensar, crianças crescem rápido e precisam de muitas variedades de peças de roupas.

Por isso, as revendas de roupa infantil são um ótimo exemplo de área para investir.

6. Quanto dinheiro é necessário para começar um negócio?

Não há resposta exata para essa pergunta. Saber o investimento inicial vai depender do nicho do mercado escolhido, da região, se o serviço terá espaço físico, o capital de giro etc.

Então, é fundamental ter uma boa reserva e planejar bem quais serão os próximos passos.

Cada estilo de negócio exigirá investimentos e compras diferentes. Por exemplo, há materiais para montar uma loja de roupas que não serão usados em um comércio de materiais de construção.

7. Como empreender com a Brandili?

Como você está vendo, empreender requer planejamento e uma boa análise do mercado.

Por isso, uma boa opção é recorrer a um modelo de negócio bem definido, descomplicado e planejado. Como? É simples: por meio de marcas reconhecidas que têm campanhas de abrangência nacional, acesso a especialistas, métodos de capacitações etc.

Esse é o modelo de negócio oferecido pela Brandili! Além de todas as vantagens citadas, o empreendedor tem entrega prioritária, sem cobrança de taxa de franquia e royalties (quantia paga pelo revendedor ao proprietário pelo direito de comercialização de um produto ou serviço).

Se interessou? Então veja mais sobre o programa Empreenda com a Brandili!

8. É melhor iniciar sozinho ou com sócios?

Ter um sócio pode ser a chave de virada para o sucesso ou para o fracasso de uma empresa.

Por isso, a resposta desta pergunta requer autoconhecimento sobre você e seu novo negócio. Em primeiro lugar, é preciso pensar: “Por que eu preciso de um sócio?” e “Quais meus objetivos com ele?”.

Isso vai ajudar a entender as necessidades da sua empresa. Então, para escolher o novo sócio, é necessário que ele tenha uma qualidade ou competência que o empreendedor ou empresa ainda não possuem.

Por falar em análise de qualidades e competências, que tal aprender mais sobre o assunto? Seja para escolher o novo sócio ou manter os colaboradores na empresa, é preciso que um empreendedor conheça bem sobre a retenção de talentos.

9. Como promover a própria empresa?

Atualmente, pequenos empreendedores podem promover a empresa sem precisar gastar muito. Uma boa opção é usar as redes sociais. Elas têm sido uma boa oportunidade para mostrar os diferenciais do seu negócio para os clientes em potencial.

Nós temos um post que vai te ajudar a fazer a sua empresa ser vista pelo seu público-alvo. Então, não perca tempo e veja o que criar de conteúdo para loja de roupas.

10. Como fazer uma pesquisa de mercado?

Em primeiro lugar, é preciso definir qual será o seu nicho de atuação e qual problema você quer solucionar. Depois disso, é preciso decidir qual o público-alvo da sua pesquisa. O terceiro passo é selecionar o que é mais relevante para o tema pesquisado.

Por fim, o empreendedor – ou empresa contratada – vai decidir se a pesquisa será de hábito e consumo ou qualitativa. Então, com a análise dos resultados, é possível escolher quais serão as próximas etapas do negócio.

Como exemplo, veja o caso do mercado infantil. Nesse caso, o problema pode ser a falta de opções de lojas de roupas para crianças em uma determinada região.

O público-alvo podem ser pais e mães que gostam de comprar em lojas físicas. A pesquisa pode ser sobre os hábitos de consumo para decidir qual será o gasto médio em cada compra.

11. Por que elaborar um plano de negócio?

O principal motivo é para não tomar prejuízo. Com o plano de negócios, o empreendedor vai ter em mente quais são as etapas e metas da empresa. Isso vai ajudar a definir o que se espera a curto, médio e longo prazo.

12. Como analisar o mercado para empreender?

Identifique seus concorrentes. Com isso, será possível entender o que eles oferecem para um determinado público-alvo. Entender onde outras empresas do mesmo nicho são bem estabelecidas e quais são suas falhas é uma boa forma de analisar o mercado.

Com essa atitude, é possível empreender para suprir uma demanda que não é atendida por outras pessoas que atuam no mesmo nicho. Dessa forma, você não vai errar na hora de montar uma loja de roupas, por exemplo.

13. E se alguém copiar a minha ideia de negócio?

Como você viu no item anterior, ter ideias parecidas não significa, necessariamente, algo ruim. Afinal, um bom empreendedor entende que o maior valor do negócio é a capacidade de colocá-lo em prática.

Lembre-se daquele ditado famoso: “de boas intenções…”, você já sabe o restante. No caso do empreendedorismo é a mesma coisa. Boas ideias de negócio muitas pessoas têm. Contudo, poucas conseguem executá-las da maneira correta.

Um bom exemplo disso vem das ações que a marca ou empresa vai tomar. Isso começa já na inauguração de uma loja de roupas!

14. E se der tudo errado?

Há duas razões para um empreendedor falar que nunca passou por uma dificuldade: ele está mentindo ou não analisa o próprio negócio corretamente. Ou seja, a falha também faz parte do empreendedorismo.

Além disso, essa mentalidade pode surgir devido a uma grande pressão para não tomar prejuízo. Contudo, é possível transformar o medo da falha em motivação para fazer as coisas darem certo.

Esse é um dos principais pontos do comportamento do empreendedorismo.

15. Onde aprender sobre empreendedorismo?

Existem diversos livros sobre empreendedorismo, mas você já pensou em ter acesso a conteúdos que são explicados de maneira fácil, sem termos estrangeiros e que podem ser lidos a qualquer momento?

Então, acesse os demais posts sobre empreendedorismo do nosso blog e aprenda cada vez mais!

E, então, tirou suas dúvidas sobre empreendedorismo? Agora é hora de começar a estudar mais e se preparar para colocar a mão na massa.

Um bom empreendedor tem a capacidade de entender o andamento da sua empresa. Essa não é uma tarefa simples, então é preciso ter acesso a métricas e dados que vão ajudar no processo.

Para saber mais sobre esse assunto, veja nosso post sobre os indicadores de sucesso. Até a próxima publicação!

Compartilhe este Conteúdo

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email

Deixe um comentário